A gestão de projetos é uma das vertentes que mais cresce no setor da comunicação, apesar de o papel do gerente desta área ainda gerar dúvidas em relação ao entendimento de suas atividades. Este profissional vem acumulando diversas funções, as quais, para a maioria das empresas, deve ser trabalhador híbrido alternando entre atendimento ao cliente, gestão dos projetos e gestão de pessoas. Tudo ao mesmo tempo e com a mesma qualidade.

Há lugares em que este profissional assume a frente em questões comerciais, tais como prospecções, políticas da empresa e planejamento. Ele se torna uma espécie de banda com um homem ou mulher apenas. O problema disso já sabemos: um funcionário que acumula funções demais, certamente não gerencia todas muito bem. Independentemente da qualidade do profissional, o acúmulo de funções em diferentes áreas provoca uma queda na produtividade.

Quais práticas o Gerente de Projetos deve seguir:

  • Integrar setores:

Utilizar ferramentas para gestão de projetos e alinhar corretamente os setores que participarão da demanda para o projeto fluir bem e não ter imprevistos. A empresa também deve escolher uma forma de comunicação que todos compreendam. Algo extremamente técnico ou de difícil utilização provocará ruídos na comunicação;

  • Dividir responsabilidades:

Pode parecer óbvio, mas muitos gestores dividem mal as responsabilidades de cada colaborador e setor, por isso, têm problemas nas entregas. Defina corretamente a função de cada membro da equipe – do setor à empresa. Os envolvidos precisam saber exatamente o que fazer, principalmente em tarefas que envolvam diferentes áreas e mais pessoas;

  • Feedbacks, sem medo;

O Gerente de Projetos precisa estar atento ao desenvolvimento dos projetos e não há forma melhor que fornecer feedbacks para as equipes. Feedbacks ajudam a manter os profissionais motivados, logo, os mais talentosos tendem a não sair da empresa;

  • Saber ouvir é saber falar:

É inútil oferecer feedbacks e não ouvir o que os colaboradores têm a dizer sobre o projeto. Ouça! Ouvir é uma boa prática de um GP eficiente, afinal, não adianta distribuir bem tarefas, gerenciar ferramentas, dar feedbacks e, no fim das contas, não ser aberto às opiniões. Muitas vezes, seus funcionários podem ter insights que o gerente não conseguiu;

  • Agenda de comunicação:

Mudanças significativas serão notadas após seguir as dicas anteriores, mas é necessário ter uma agenda de comunicação. Reúna os envolvidos e defina horários para troca de ideias em grupo durante o projeto. Aquele velho clichê: duas cabeças pensam melhor que uma, é sempre válido;

  • Garantir as entregas:

É consequência do bom trabalho do GP uma entrega de qualidade. É importante entregar dentro do prazo. Isso garante que  o trabalho foi bem feito, o planejamento foi adequado e a satisfação do cliente é garantida.

Liderança verdadeira influencia e agrega valor à equipe e é a chave para alinhar o mindset entre os recursos. Pense nisso!

Sobre o Autor

Publicitário e especialista em redes sociais. Formado pela FAM é Produtor de conteúdo para internet há quase uma década. Viu quase todas as redes sociais nascerem e acredita que a tecnologia pode nos ajudar a tornar o mundo mais inteligente e humano.

Você também pode curtir

1 Comentário

  • Responder

    Muito bom! só não acho realmente necessário utilizar ferramentas para gestão de projetos, classificar assim é muito abrangente, pois em alguns casos isso só atrapalha ou desmotiva os funcionários. Acredito que deveria ser questionado qual ferramenta os funcionários preferem, pois há n formas de tornar a gestão do tempo e das atividades algo interessante, motivador e agradável. Concordo plenamente quando diz que um bom GP deve saber ouvir, sinto que isso falta bastante no mercado. Parabéns pelo texto!

Deixe um comentário