Como o novo cenário econômico e a crise financeira podem afetar a gestão de projetos

O cenário econômico diante o isolamento social foi tema da live do Instituto Mestre GP com Silvio Soledade – fundador da PlanoGestão e vice-presidente da App Brasil (Associação dos Profissionais de Propaganda)

 

Atualmente, em meio ao cenário preocupante na saúde pública mundial por causa da epidemia do coronavírus, o mundo luta para cuidar de sua população e, ao mesmo tempo, também tentam evitar que a economia entre em colapso.

Mesmo com esforços, é indiscutível que todos os setores que contribuem com a economia dos países, serão atingidos, alguns mais, outros menos, mas serão.

Estudos e especialistas do setor da macroeconomia apontam que vai demorar para o sistema financeiro voltar ao seu funcionamento normal. Diante deste cenário, é importante lembrar que, por se tratar de uma doença até o momento desconhecida e sem tratamentos para a cura, os cuidados preventivos serão longos, sendo assim, causando efeitos demorados nas áreas de produção e consumo, resultando em uma crise financeira nas organizações.

Para tratar deste importantíssimo tema que é a crise financeira nas organizações, em especial, na gestão de projetos, o Instituto Mestre GP convidou Silvio Soledade – fundador da PlanoGestão e vice-presidente da APP Brasil (Associação dos Profissionais de Propaganda) para participar da live que acontece semanalmente no Instagram do Mestre GP e apresenta temas relevantes para o momento atual, a pandemia e isolamento social.

Silvio Soledade, relatou que a área financeira, por muito tempo, ficou em um segundo plano. Trazendo o cenário para a área de comunicação, acredita que sempre é a primeira a ser impactada, porque é um setor sensível. No entanto, no dia a dia, outras prioridades são levadas em considerações na cultura dessas empresas, como a prospecção de cliente, atendimento, processo, entre outros, deixando a área financeira em último lugar.

Contudo, o fundador da PlanoGestão acredita que este período vai passar mas é necessário se preparar, principalmente, a área de publicidade e comunicação, para ter insights das mudanças efetivas que estão em andamento e focar nos questionamentos: Como será o consumidor? Como será necessário manter a relação da empresa com os parceiros, colaboradores e fornecedores?

“A crise não chegou apenas para acelerar o processo de transformação, como também, pulou uma importante etapa que é a de transição. As pessoas, as organizações, os governos, não tiveram tempo para estudar, planejar e aplicar as mudanças. Além da crise estrutural, temos que lidar com a crise de comportamento e aceitar a mudança imposta por uma situação não planejada”, contou Silvio.

Ações para garantir a saúde financeira das empresas

Uma ação que Silvio acredita que todas as organizações terão que colocar em prática, pensando na saúde financeira a médio e longo prazo, é olhar a gestão financeira como um fator essencial e não secundário.

“Olhar para o caixa, para os recursos disponíveis, são fundamentais não só para oferecer capacidade de investimento, mas também, atravessar momentos de crise, como o que estamos passando hoje. Certamente, empresas que tinham essa cultura aplicada de forma sólida, também serão atingidas mas estão preparadas para tomar decisões pensando no todo, não só como cortar gastos e, sim, transmitindo segurança para os seus clientes, colaboradores e compartilhando as tomadas de decisões.”, afirmou o vice-presidente da APP Brasil.

De acordo com Soledade, passar por esta crise não existe uma fórmula mágica, todos serão atingidos e sairão com mudanças importantes para avaliar, positivas e negativas. No entanto, indica quatro pontos que considera essenciais:

Para obter a agilidade e entrega com velocidade são necessários:

  • Mantenha a calma: analisar o mercado, o caixa, como está a saúde financeira dos clientes, parceiros e fornecedores, e não tomar nenhuma decisão sem planejamento;
  • Seja confiante: ser empreendedor requer ser otimista, acreditar no negócio e nas possibilidades. A autoconfiança precisa ser transmitida para os colaboradores, clientes e parceiros;
  • Mantenha uma comunicação eficaz: chegou o momento de não caminhar sozinho, aliás, nunca foi o momento, mas agora é ainda mais importante compartilhar opiniões, listar prioridades, estar próximo de quem acompanha o dia a dia e influência no processo da sua empresa.

 

Gestão de Projetos na crise financeira

Para Silvio Soledade, a área de gerenciamento de projetos é ainda mais essencial na crise financeira atual. O gestor de projetos não só gerencia recursos, como também, pessoas, prazos, evitando desperdícios e garantindo a entrega de um serviço com exatidão e qualidade.

Outro ponto que o gestor de projetos atua fortemente no cenário de crise é na produtividade da equipe. “Não é fazer mais com menos, e sim, entregar com qualidade e mitigar riscos, diminuindo o impacto e probabilidade de ameaças do projeto.”, relata o Soledade.

Silvio Soledade concluiu a live acreditando que o legado que a crise financeira imposta pela pandemia do Covid-19 vai deixar será a constante necessidade de reflexão.

“A entrega automática, sem estudo, reflexão, teste, com fórmula mágica, não será mais possível e aceita. O estímulo de todos os envolvidos deverá ser considerado primordial de qualquer entrega após o rumo que o mundo será direcionado.” – concluiu.

Esse conteúdo foi um pouco da discussão que ocorreu na última live do Instituto Mestre GP. Se você não conseguiu acompanhar, em breve iremos disponibilizar todas as lives na íntegra, aguardem.


Oferecimento

Mantenedores

Entidades Apoiadoras