A Biblioteca da Empatia (Empathy Library) é a primeira coleção online de empatia do mundo e um espaço valioso para transportar a imaginação na vida de outras pessoas. Ao acessar, você poderá ser uma criança que nasceu em Teerã, ou nascer sem visão, ou ser um soldado lutando contra a guerra de outra pessoa. A biblioteca leva a essas viagens em mundos desconhecidos.

No acervo há livros, por exemplo, de ficção, não ficção e livros infantis, e também filmes (desde longa metragem, a documentários e vídeos animados).

O espaço online tem o objetivo de aprofundar a empatia – para  ajudar a pisar as pernas de outras pessoas e olhar para o mundo através dos seus olhos.

Como usar a biblioteca? É simples! Pode procurar os rankings Top 10 dos livros e filmes mais populares, ou procurar por temas (como amor, guerra ou religião), ou para escritores e diretores que lhe interessam.

Embora possua um conceito de biblioteca diferente do padrão, como poder pegar emprestados os livros, ou alugar os filmes, você encontrará tudo o que precisa saber sobre eles, incluindo comentários e links úteis.

A biblioteca é baseada na crença de que a empatia pode transformar a própria vida e sociedade. Como o romancista Ian McEwan afirmou: “Imaginar o que é ser alguém além de você é o cerne da nossa humanidade. É a essência da compaixão, e é o princípio da moral.”

Há agora uma abundância de pesquisas que mostram que livros e filmes são uma ótima maneira de ajudar fazer o impulso imaginativo da empatia. Por isso, a biblioteca oferece uma série de ideias para grupos de leitura, clubes de cinema e projetos de empatia em escolas, organizações comunitárias e locais de trabalho.

A Biblioteca da Empatia foi fundada pelo escritor e pensador cultural Roman Krznaric e é baseada em ideias do seu livro, Empathy: A Handbook for Revolution.

Banners-GdPessoas

 

Sobre o Autor

Jornalista do Instituto Mestre GP, formada pela Universidade São Judas Tadeu. Trabalha com comunicação há nove anos e atua com marketing digital e marketing de conteúdo.

Você também pode curtir

Deixe um comentário