Pratico natação desde os oito anos, mas 2014 ficará marcado como o ano em que troquei a piscina pelo mar e fiz minhas primeiras travessias. A experiência tem sido incrível, e recentemente me peguei refletindo sobre as lições aprendidas que poderiam ser aproveitadas na minha vida pessoal e profissional.

Fiquei surpreso em perceber quanta coisa a prática desse esporte pode ensinar sobre gestão de projetos digitais e de inovação. Vale a pena listá-las:

A única certeza é que nada é certo
Mesmo que você tenha checado previamente todas as informações antes da prova como direção do vento, força da correnteza ou temperatura da água, basta cair no mar para perceber que o cenário pode ser totalmente diferente. Tudo é incerto e muda ao longo do percurso. Ao contrário da piscina, seu corpo e seus movimentos precisam se adaptar a cada instante, de acordo com essas variáveis. Sempre que iniciar um projeto, lembre-se que o cenário irá mudar constantemente. Planejamento é necessário, mas adaptar-se rapidamente às condições enfrentadas é fundamental.

Direção é mais importante que velocidade
Ao contrário da piscina, no mar não há formas de orientação e a correnteza pode te empurrar para qualquer lugar. Por isso, a cada ciclo de 5 a 10 braçadas é preciso fazer a braçada frontal, tirando a cabeça da água e olhando para frente para ajustar a direção. Acelerar o ritmo do projeto sem saber ao certo para onde está indo, provavelmente irá gerar um esforço extra desnecessário para retomar a rota correta.

Esqueça a linha de chegada. Foque na próxima boia.
Não importa se a distância da prova é de 2, 3 ou 4km. Se desde o início seu foco estiver na outra ponta da praia, a sensação que você terá é a de que, por mais esforço que faça, não estará saindo do lugar. Seja qual for o tamanho do seu projeto, foque sempre na próxima boia. Criar pequenas metas e conquistá-las uma a uma lhe dará mais motivação e deixará claro sua evolução dentro do projeto.

Tenha um propósito e haja de acordo com ele
Nas provas de maratona aquática há sempre muitos competidores. Atletas de vários níveis de preparação e com propósitos diferentes largam juntos do mesmo lugar, mas com motivos diferentes para estarem ali. Uns querem chegar entre os primeiros, outros desejam melhorar seu tempo pessoal. Há também aqueles que querem apenas completar a prova. Todas as decisões serão tomadas a partir disso. Defina o propósito do seu projeto e mantenha-o em mente durante todo o tempo. Ninguém mergulha no mar sem um bom motivo. Nem que seja apenas para se refrescar do calor.

Curta a jornada
Nadar no mar não é fácil. Requer preparação física, técnica, mental e uma dose de coragem para enfrentar tantas incertezas e adversidades. Mas não é por isso que precisa ser algo sofrido. Ao gerir um projeto, você irá encontrar uma série de obstáculos e imprevistos. É preciso entender que isso faz parte do jogo e a melhor forma de tornar a caminhada (ou a nadada) menos estressante é curtir cada segundo da jornada.

Sobre o Autor

Profissional estratégico e criativo com ampla atuação em Comunicação e Marketing, trabalhou em empresas do setor de propaganda, design, educação e tecnologia. Sólida experiência no desenvolvimento de campanhas publicitárias institucionais, promocionais e de comunicação (offline e online) nas áreas de Criação e Planejamento.

Você também pode curtir

1 Comentário

Deixe um comentário