Em tempos de crise saber gerenciar com cautela o dinheiro disponível para colocar em prática a execução de um projeto deixou de ser um diferencial, agora é imprescindível. Para ser mais específica, a boa gestão financeira se tornou uma atividade que precisa de planejamento sério e eficaz, tanto no campo profissional, como no pessoal.

O cenário atual do país está composto de incertezas, até mesmo para os mais otimistas, e isso exige atenção e adaptação por parte dos clientes e das empresas. E, está aí um grande desafio para o Gerente de Projetos! Conseguir gerenciar a execução, junto com o planejamento de custos do projeto.

Segundo os autores do livro Gerenciamento de custos em projetos, da FGV Editora, hoje em dia é difícil fazer estimativas adequadas no planejamento financeiro e cumpri-las, por causa das inúmeras mudanças a que os projetos são submetidos durante o seu período de execução.

Se levarmos em consideração os pontos destacados pelos os autores no livro, que certamente você profissional da área já deve ter se deparado no dia a dia, é possível afirmar que a elaboração do orçamento de custos precisa ser estudado e introduzido no escopo geral, e não ser tratado como uma etapa individual e separada do projeto.

O IETEC (Instituto de Educação Tecnológica) realizou uma pesquisa e comprovou que 72% das organizações consultadas não cumprem o cronograma acordado no fechamento com o cliente. 68% apresentam problemas de comunicação e 55% delas confirmam possuir problemas de escopo.

Também destacou que um dos problemas de maior frequência nos projetos é o não cumprimento do orçamento, somando 35% das empresas, e este fator está entre os dez mais graves problemas enfrentados pelas equipes de projetos.

Diante deste cenário e com conhecimento dos obstáculos que envolvem a gestão financeira de um projeto, o Guia de conhecimento PMBOK listou quatro elementos que considera importantes para o gerenciamento de custos eficaz:

1- Plano de gerenciamento de custos
Nesta etapa inclui a definição e onde serão investidos os recursos disponíveis para o projeto.

2- Estimativa de custos
Neste processo envolve elaborar uma análise detalhada e a pontuação de quais serão as necessidades do projeto divididas em atividades x tempo de projeto.

3- Determinação de orçamentos
Aqui é o processo que determina o orçamento do projeto incluindo os produtos que serão utilizados, isso no dia a dia do GP trata-se das ferramentas que serão usadas, alinhadas ao escopo e o tempo para execução.

4- Controle de custos
Último e importantíssimo elemento, o controle de custo periódico evita distorções na execução, desperdício de verba, acúmulos de funções e minimiza problemas na reta final.

E você como realiza o gerenciamento financeiro dos seus projetos? Compartilha com a gente a sua opinião e dicas.

Sobre o Autor

Jornalista do Instituto Mestre GP, formada pela Universidade São Judas Tadeu. Trabalha com comunicação há nove anos e atua com marketing digital e marketing de conteúdo.

Você também pode curtir

Deixe um comentário