Uma das chaves para o sucesso de uma empresa é saber lidar com pessoas. Conhecer a equipe, suas capacidades e motivá-la da maneira correta é essencial. Ainda mais em uma sociedade como a atual repleta de conflito entre gerações com personalidades e culturas completamente diferentes.

Não há Torre de Babel que evite conflitos em equipe. Sempre existiu e continuará da mesma maneira. A questão é saber lidar, resolver e aprender com problemas. Afinal, sempre há algo bom para se aprender a superar situações ruins.

É preciso saber como cada indivíduo absorve as informações e, assim, como deixar a equipe em sinergia com os objetivos de cada projeto, tanto os paralelos quanto os da empresa. Uma conversa individual com cada colaborador também é parte importante do processo: sua opinião sobre o projeto, se há insights para melhoria e se existem problemas entre setores que participam dos projetos.  Em muitas ocasiões, alguma etapa do projeto pode sofrer atrasos e problemas por culpa de conflitos de áreas diferentes.

Os colaboradores trabalham melhor quando estão felizes, por consequência ficam mais produtivos e se mantém motivados. Por isso, promover um ambiente amigável e harmônico pode elevar significativamente a performance da sua equipe. Aparentemente, para algumas empresas isso pode parecer utópico, mas temos bons exemplos de empresas que optaram por esse modelo mais humanizado, funcionando muito bem e se tornando exemplo, tal qual Google, Netflix, Facebook, Nubank e Twitter.

Manter uma linha de comunicação e integração eficaz, essencial para lidar com opiniões diversas e prazos, é preciso respeitar quatro pilares básicos: escutar, planejar, acompanhar e validar. Seguindo este modelo, o gestor de projetos passa a entender como cada membro da equipe pensa, quais são suas dificuldades e pontos de atenção do projeto. Um conversa diária na maior parte dos projetos vale mais que qualquer ferramenta de gestão ou timesheet.

Se o gerente de projetos não tiver a sensibilidade de notar que sua gestão não é apenas voltada a projetos, mas sim também a pessoas, com certeza o bom andamento de todas as atividades na empresa será prejudicado. É um trabalho conjunto, integrado e importante, tal qual um conjunto de engrenagens, onde o gestor é o óleo que as banha para que funcionem da maneira correta.

 

Sobre o Autor

É sócio na GTC, responsável pela gestão de todas as operações da empresa, coordenação de equipes e desenvolvimento de projetos, estando também à frente dos projetos de tecnologia.

Você também pode curtir

Deixe um comentário