Saiba como o novo líder consegue fortalecer, promover empatia, a colaboração e o engajamento da equipe

Em tempos de crise econômica, a insegurança tornou-se um sentimento do cotidiano no ambiente corporativo. Com isso, as empresas buscam alternativas para encontrar formas de motivar as pessoas e clientes não apenas com recompensas financeiras, mas também com incentivos para seus líderes promoverem nova forma de liderança e melhor desenvolvimento de seus projetos.

No entanto, qual seria a forma de gestão eficaz para contrapor com esse cenário de incertezas e mudanças?

Marcelo Pimenta, jornalista, professor e empreendedor digital falou sobre Liderança Criativa no Expo Fórum de Marketing Digital.

20170830_114559

Segundo Marcelo, o novo líder fortalece e promove a empatia, a colaboração e a experimentação. É um estilo de gestão que precisa fazer acontecer, orquestrando colaborativamente ações de curto prazo, mas sempre de olho no futuro.

Os líderes criativos entendem o poder transformador da cultura do design como estilo de liderança que está divido em três pilares:

Empatia

É o pilar da liderança crítica, que enxerga a experiência do cliente. O empreendedor digital citou como exemplo a ativação do app Uber. O serviço surgiu quando observaram uma brecha na forma de trabalho da rede de táxis. Com isso, trouxe para o mercado mais competitividade e foco na experiência do cliente.

Colaboração

É um pilar importante para atingir o objetivo que atenda as necessidades. A gestão do líder criativo que consegue engajar.

Experimentação

É um pilar focado em feedback para melhorias, e assim, desenvolver algo inovador. É a partir da prototipação (desenvolvimento rápido), aliado a experimentação que surgirão insights para melhorias.

Durante a palestra, Marcelo Pimenta, também falou de outras características de um líder criativo, que são:

  • Pensamento sistêmico;
  • Entende o mundo interconectado;
  • Assume riscos;
  • Prefere pessoas a equipamentos e planilhas;
  • É protagonista da própria história;
  • Não busca desculpas, e transforma problemas em oportunidades;
  • Tem fome de fazer;
  • Consegue fazer com seus recursos;
  • Pensa desenhando com riscos, rascunhos e ferramentas adequadas para gerenciamento;
  • É um verdadeiro agente transformador.

Sobre o Autor

Jornalista do Instituto Mestre GP, formada pela Universidade São Judas Tadeu. Trabalha com comunicação há nove anos e atua com marketing digital e marketing de conteúdo.

Você também pode curtir

Deixe um comentário