Muito se tem falado sobre gerenciar projetos de maneira ágil, processos ágeis, ser ágil, entre outros termos. Isso porque segundo os conceitos difundidos mundialmente, ser Ágil tem como pilares a Transparência, Inspeção e Adaptação combinados à eliminação de desperdícios.

A gestão tradicional de projetos é base importantíssima para qualquer profissional que queira se aventurar na profissão – e continua muito requisitada no setor industrial por necessitar da formalidade em seus projetos de longa duração.

A necessidade de processos de controle de Iniciação, Planejamento, Execução, Monitoramento e Controle e Encerramento já fazem parte de nosso dia a dia, muitas vezes de forma instintiva, empírica ou pelo PDCA e quando falamos de gerenciar projetos com o PMBOK, pensamos nos 10 processos com suas entradas e saídas nas 47 áreas de conhecimento, ou seja, uma abordagem sofisticada e focada em processos e não em pessoas. Mas ainda é um guia de boas práticas, principalmente como ponto de partida para novos profissionais.

Mas o mercado publicitário não sustenta todos os processos do PMBOK, você deve estar pensando.

A gestão ágil de projetos é bem diferente das metodologias tradicionais. Quando falamos de Ágil, lembramos do framework Scrum, que tem a ver com a economia de tempo na realização das tarefas programadas – o que gera uma intensa interatividade, já que toda a equipe deve trabalhar de um jeito consistente para obter bons resultados.

Mas ser ágil é correr para fazer entregas o mais rápido possível?

O Manifesto Ágil é bem claro ao apontar que as entregas devem estar focadas no envolvimento e no comprometimento das pessoas, mantendo a flexibilidade e interação de equipes auto gerenciáveis em um período de tempo definido.

Mas é importante dizer que SER ÁGIL significa simplificar o mindset. É partir do básico, pensando em como agregar valor às entregas.

Para projetos de escopo mutável e/ou parcialmente desconhecido, o Scrum é a metodologia mais recomendada, enquanto que segundo o PMBOK, não conhecer o escopo inviabiliza o planejamento e a execução do projeto. Percebendo a movimentação do mercado em busca de metodologias ágeis, já existem cursos para profissionais que querem trabalhar de forma ágil alinhados com as boas práticas em gerenciamento de projetos do PMI, como o curso Cultura em Gerenciamento de Projetos da Mestre GP.

Para determinar qual metodologia é a ideal para seu processo, é preciso considerar as características do projeto a ser entregue e adotar o melhor das duas metodologias considerando inclusive o mindset intrínseco a cada processo, gerando assim mais valor para os stakeholders e partes envolvidas.

Sobre o Autor

Gerente de Projetos PMO-CP certificada, Scrum Master, domina Lean, TaktPM, PMCanvas, MBA em Estratégias de Mercado, Lider do Comitê da Diversidade na TracyLocke e já foi sócia de uma agência de projetos digitais durante 08 anos.

Você também pode curtir

Deixe um comentário