Percebo que muitas empresas ainda trabalham “no jeitinho brasileiro”, o que para mim é uma qualidade do nosso povo, mas também soa como “deixa a vida me levar”, e assim, a “vida leva eu”, ou seja, não guiamos nossos próprios caminhos.

Muito se fala sobre mudanças necessárias no modelo de trabalho, que precisa ser mais colaborativo, mais inovador e mais focado em negócios. Muita teoria, correta, mas pouca prática ainda.

Não acho que a mentalidade precisa mudar. O “mind set” já está estabelecido.

Precisamos de atitudes e, principalmente, testar e otimizar. Sempre!

Não é coincidência a fala de todos os executivos das empresas mais valorizadas do mundo: Amazon, Facebook, Google, Microsoft.

Tentando exemplificar:

Duas ou mais opções de soluções de produtos ou peças darão massa crítica (dados) para hipóteses, comparativos e otimizações. Sem isso, as suposições são limitadas. Potencialmente, os resultados também serão limitados. A verdade de hoje provavelmente não será a realidade de amanhã.

Na minha área isso vale pra campanhas, plataformas, sites, vídeos, banners, posts, mensagens, conteúdo, experiências, tudo! E na sua?

Perguntar a opinião de outros profissionais é um exercício de humildade e uma busca de pontos de vistas diferentes. Gera aprendizado, crescimento e qualidade.

Ferramentas de gestão de etapas, como MS Project, Basecamp ou formulários contendo campos obrigatórios (kpis, canais, formatos) e etapas com responsáveis definidos, certamente ajudarão.

Observar a recorrência dos “desafios” e buscar automatização e regras pode liberar nosso tempo para pensar mais, criar mais e faturar mais.

No final, é uma prática de querer ser melhor hoje do que ontem. Amanhã e sempre!

Banner-curso

Sobre o Autor

Formado em Comunicaçāo Social, possui 20 anos de experiência em Digital, incluindo negócios, estruturação e gestão de equipes, atendimento e produção, com atuação em agências globais: BBDO, Ogilvy, JWT e Isobar, liderando projetos para grandes marcas: Volkswagen, Coca-Cola, Claro, Ford, Mars, Mondelēz...

Você também pode curtir

Deixe um comentário