Como a cultura e a gestão estão transformando o mercado publicitário

O Fórum Mestre GP já se consolidou no calendário como o espaço para debater o futuro dos novos modelos de Gestão e de Projetos para o mercado publicitário.

Em meio ao cenário atual, o mundo mudou e as práticas de Gestão, Projetos e Liderança, também. Com isso, as disciplinas precisaram ser alicerçadas. Antes o que era uma vantagem competitiva, passou a ser uma necessidade.

Esse é o compromisso do Fórum Mestre GP, provocar o novo, trazer temas que impactarão o presente e o futuro dos modelos de Gestão do mercado de comunicação, publicidade, de marketing. No total são 3 dias de eventos, divididos em 3 trilhas de conhecimentos, totalizando mais de 30 palestras e mais de 20 horas de conteúdo.

A primeira palestra foi ministrada por Clóvis de Barros Filho, doutor e livre-docente pela ECA USP, sobre ‘A vida que vale a pena ser vivida’, que destacou abordagens sobre acontecimentos da vida profissional e pessoal, com estímulos para encontrar novas formas de alcançar mais produtividade e alegria no dia a dia. “Não adianta aprender subir os degraus da vida, sem saber aonde irá chegar. O final dessa escada é o grande valor da vida”, destacou o professor.

O Head de Cultura e Comunicação na Mutato, Eduardo Zanelato, apresentou cases inspiradores que atuam com a cultura como pilar de inovação.

“A cultura da inovação representa pensamento, visão, comprometimento e DNA. Acredito que as trajetórias individuais inspiram impactos coletivos”, comentou Eduardo.

Logo em seguida, a co-fundadora do Moved by Mindfulness, Moira Malzoni, falou sobre Mindfulness no ambiente de trabalho, destacando a clareza mental e presença para fazer escolhas mais conscientes. Ao longo da sua palestra houve um momento de meditação com o objetivo de apresentar formas de como praticar a concentração, respiração, que poderão ser aplicados no ambiente de trabalho, como por exemplo, antes de uma reunião de negócio ou com a equipe.

Dando sequência a programação, Monica Szanto, diretora de RH na DPZ&T,  apresentou como a gestão de desempenho eficaz permite aos gestores mensurar o perfil comportamental de seus colaboradores e fornecer informações essenciais para as tomadas de decisões ou definições de metas.

Na sequência, teve um bate-papo com Carol Miltersteiner, escritora e consultora, e Karen Hada, Diretora de Operações na F.biz, sobre Síndrome de Burnout, com relatos de experiências pessoais destacando como reintegrar os colaboradores que passam por esse desgaste.

“Para reintegrar o colaborador é necessário não ter o julgamento interno e do próximo”, comentou Carol.

Para Karen, a pessoa quando está diante do colapso mental e físico não quer dizer que não gosta mais do trabalho, e nem do que faz. É um desgaste que merece atenção e cuidado.

Encerrando a primeira parte do dia, Carlos Coutinho, autor do livro ‘A tríade da competência’ e gerente executivo de inovação na BRF, abordou como manter as principais competências para desenvolver-se ao longo da vida e carreira com base em três elementos do conhecimento: o técnico, a gestão e a liderança.

Segunda parte da programação Trilha Gestão & Cultura – Fórum Mestre GP

Atualmente o trabalho remoto é realidade para diversos profissionais. No entanto, como gerenciar projetos e manter a cultura da empresa ativa? Esse foi o tema da palestra de Aline Rossin, sócia e VP de Client Services na Live.

“É importante ter conversas, acolhimento, entender à necessidade de cada indivíduo, adaptando o novo formato a realidade de cada colaborador. O treinamento, também é a chave para manter a cultura da empresa ativa”, compartilhou Rossin.

Outro destaque foi a palestra do Chief Human Capital Officer na Briviadez, João Andrade, que abordou a cultura como diferencial para o trabalho remoto. O diretor, acredita que para manter a cultura  no modelo remoto, é primordial ter respeito, confiança, investir em treinamentos, materiais de apoio e reciclagens constantes para motivar o colaborador e fazer com que ele esteja sempre próximo e atualizado da cultura organizacional, aplicando isso em suas atividades cotidianas.

Fábio Trindade – Chief Revenue officer e Guilherme Morgado – European Operations, ambos da Digital Business, falaram sobre como a cultura ágil agrega valor ao mercado. Reforçaram que ágil é mudança de mindset e que não existe fórmula mágica. É preciso experimentar e adaptar-se às mudanças.

“Ser ágil é cultural, e não apenas uma nomenclatura”, comentou Guilherme.

Na programação do Fórum Mestre 2020 contamos também com as participações das sócias Dani Mattos e Verônica Dudiman da ‘Indique uma Preta’, uma rede de apoio a mulheres negras que buscam uma oportunidade de negócio.

“Não é só contratar um colaborador negro que terá uma empresa com mais diversidade. As empresas precisam se preparar para receber essas pessoas, saber como vão desenvolvê-las. É mudar toda uma cultura da organização”, destacou Verônica.

Finalizando o primeiro dia David Laloum– CEO e Jaqueline Travaglin – Diretora de Operações na Y&R, apresentaram um importante papo sobre como trazer a Cultura Projetizada como core da agência. Na conversa, David ressaltou que ter uma visão de cultura projetizada é conquistar a união dos departamentos e unir pessoas em prol de um projeto e um ideal. Concluiu afirmando a importância de implantar nas agências o core da cultura TECH.

Foi um dia com muito conteúdo e você ainda pode se inscrever no evento, clique aqui e participe!


Ramon Oliveira

Ramon Oliveira

Fomento o compartilhamento do conhecimento, da experiência como entrega prática e da conexão como a transformação real. Fundador do Instituto Mestre GP, também atua como professor.

Oferecimento

Entidades Apoiadoras