Acredito que este tema seja um dos maiores desafios atuais dentro do cenário da comunicação / agências de publicidade, pensando na gestão de forma geral e não apenas de Projeto. Quando trabalhamos com situações onde o resultado final depende de fatores e pessoas, em sua maioria construídos ao longo do projeto (planejamento, criação, mídia), é bem provável que algum obstáculo seja encontrado e também bem provável que com estabelecimento claro de objetivos e trabalho coletivo ele será superado. Porém, quando a dúvida e o questionamento são rejeitados pela liderança, cria-se um ambiente desestimulante e com isso outras situações são desencadeadas.

Um projeto de comunicação permeia alguns campos e alguns atores como já exploramos em artigos anteriores, como a Criação, o Planejador, o Gerente de Projetos, o Mídia, Atendimento, o próprio cliente, e outros mais. Cada projeto de comunicação tem um objetivo, muitas vezes semelhantes como aumento de vendas, aumento de tráfego para algum canal da marca, apresentação de um novo produto, apresentação de algum feature de um produto já existente, ações em redes sociais, etc. Desta forma, tratar os papéis atuantes no projeto como peças que não erram ou não terão dúvidas sobre o caminho a se percorrer leva o ambiente de trabalho na contramão do propósito de um projeto publicitário.

Uma agência de publicidade ou qualquer outro ambiente criativo e inovador deve promover aos seus colaboradores um ambiente de inspiração, desde a sua concepção filosófica até a sua estrutura física, sendo assim os profissionais que lá atuam e sua liderança devem também promover essa mesma inspiração para a busca de soluções inteligentes e inovadoras, e essa busca trará alguns questionamentos, por consequência alguns equívocos, e somente com eles, acredito, será possível que o trabalho amadureça e seja concebido.

Transformar esse ambiente de trabalho em um local onde errar é visto como falta de empenho ou falta de conhecimento profissional promove uma competição equivocada da equipe, ao invés de se ter um trabalho coletivo tem-se uma individualização de pensamento, onde quem sabe algo não compartilha e quem não sabe terá receio de questionar.

Como já dito por algum pensador “liderar é inspirar”, então promova isso, comunicação é uma construção coletiva e inspiradora e não uma ciência exata, permita o erro, permita o questionamento e acima de tudo permita o pensamento crítico.

Sobre o Autor

Fomento o compartilhamento do conhecimento, da experiência como entrega prática e da conexão como a transformação real. Fundador do Instituto Mestre GP, também atua como professor.

Você também pode curtir

Deixe um comentário