Ter empatia e estimular a equipe está entre as competências para quem trabalha com gestão de pessoas

 

Por Gabriel Dias* e Gabriela Manzini**

“Projetos são feitos por pessoas. […] A cada proposta comercial, você está interagindo com pessoas. A todo minuto estamos aprendendo em todas as trocas”, disse a professora Lia D’Amico, no módulo 5 do Curso de Gerenciamento de Projetos do Mestre GP. Ou seja, em todo projeto existe uma troca e, por isso, você precisa compreender que está lidando com gestão de pessoas.

O gestor deve entender o seu perfil como líder para, assim, poder influenciar a equipe. “Quanto mais se apropriar das suas questões, mais você vai inspirar as pessoas ou não”, destacou a também professora do módulo Silvia Rodrigues. Na gestão de pessoas, é importante dar a oportunidade de aprender olhando as angústias e expectativas da equipe, assim, todos podem sair ganhando no projeto.

Portanto, o papel de um gestor está em saber trabalhar com pessoas: são elas que fazem parte do projeto e devem ser compreendidas em todo o processo. Além do mais, vale lembrar que, para trabalhar com pessoas, é fundamental alinhar as expectativas dos envolvidos.

 

Competências para a gestão de pessoas

Para facilitar essa interação, o gestor necessita desenvolver competências essenciais:

  1. Autoconhecimento
  2. Liderança
  3. Comunicação
  4. Planejamento
  5. Tomada de Decisão
  6. Gestão de Conflitos

Segundo Silvia Rodrigues, o ponto chave da liderança é a habilidade de influenciar pessoas. Para isso, é preciso aproximação, empatia, confiança e entender como a pessoa lhe impacta. “Quando a gente entende os gatilhos que aquela pessoa desperta em mim, é mais fácil regular as emoções. Controlar a gente não consegue”, comentou Silvia.

 

Como lidar com expectativas de outros que muitas vezes estão enviesadas?

O ser humano tem a necessidade de entender o porquê está fazendo algo para estar engajado. Deixar transparente o projeto para a equipe vai ajudar na motivação das pessoas e reforçar o alinhamento das expectativas. Não adianta apenas dar ordens e esperar que a equipe obedeça: existem pessoas no projeto e elas precisam de um bom gestor para realizarem as tarefas com competência.

 

Chaves para um líder ideal:

– aprimoramento contínuo do autoconhecimento: sempre procurar entender as características pessoais e assim montar equipes com quem quer ou não trabalhar.

– conhecer as necessidades da equipe: ter empatia com as pessoas. Desta forma, o gestor terá mais controle para regular as emoções da equipe.

– dar e receber feedback: o projeto serve como uma troca entre pessoas. Cada indivíduo tem a chance de aprender com o outro no meio do processo.

– conhecer os processos: estar capacitado para gerir uma equipe está atrelado a conhecer os caminhos e possibilidades no projeto.

– conhecer o negócio: estudar e analisar os resultados vão ensinar bastante nas tomadas de decisão.

soft skills: trabalhar as competências subjetivas como a curiosidade, visão do todo, empatia, perfil comunicativo, motivador, positivo, educador, persuasivo, integrador.

>> Este texto faz parte do especial [GP de A a Z]. Leia mais em: “O que é um Líder de Projetos?

 

*Gabriel Dias é jornalista formado no Centro Universitário de Brasília – UniCEUB. Analista de Comunicação no Digitalks, Gabriel também tem experiência nas áreas de jornalismo político. Trabalhou em agências de comunicação e na Câmara dos Deputados. Gosta de produzir conteúdos digitais e foca no Marketing Digital.
**Gabriela Manzini é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo, trabalha com comunicação desde 2008 e é especialista pós-graduada em Comunicação Corporativa pela Cásper Líbero com nanodegree em Marketing Digital. Atua hoje com comunicação estratégica, marketing digital, especialmente marketing de conteúdo e inbound. Em suas passagens por agências de comunicação e marketing, já atendeu clientes como Microsoft, Philco, Wacom Brasil, Toshiba Brasil, Citibank, Credicard Hall, Omron, Internacional Shopping Guarulhos, e os cantores Fábio Jr. e Paula Lima. Na área corporativa, trabalhou no departamento de marketing da Shoestock e é a atual Head de Conteúdo do Digitalks, empresa do grupo iMasters, referência em marketing digital no Brasil. Possui ainda expertises em planejamento estratégico, design thinking para inovação, comunicação interna e endomarketing, além de prestar consultoria em mídias sociais para pequenos negócios.

 

Você também pode curtir

Deixe um comentário