Mundo VUCA e Pandemia: O que podemos aprender

Não é de hoje que usamos ensinamentos de guerra na administração de empresas para enfrentar as exigências do mundo business. Muitas ideias passaram da esfera militar para os negócios, auxiliando administradores a serem bons estrategistas e, assim, sobreviverem e prosperarem diante de diferentes cenários e desafios.

O mais recente tem sido o mundo VUCA. O acrônimo, formado por “Volatility” (Volatilidade), “Uncertainty” (Incerteza), “Complexity” (Complexidade) e “Ambiguity” (Ambiguidade), é um termo adotado pela Escola de Guerra do Exército Americano para explicar as tendências do novo século, o mundo após a Guerra Fria, o “mundo VUCA”. Voltou à tona para ajudar a elucidar o momento que estamos passando.

VUCA (VICA, em português) é a expressão que resume a ideia de que vivemos em um mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo, portanto, que precisamos de um novo tipo de organização para enfrentar os desafios impostos. E com o surgimento da globalização e da tecnologia da informação, é ainda mais importante entender como funcionar em ambientes complexos.

PANDEMIA. “E AGORA, JOSÉ? E AGORA, VOCÊ?”

Quem diria que, em pleno século XXI, estaríamos falando – e sofrendo – uma pandemia. Pandemia. Não lhe soa algo utópico, distante, retrógrado, de uma vida escassa de recursos, nada contemporâneo? Falar em pandemia parece um paradoxo frente ao avanço tecnológico que vivemos hoje. Esperamos pelo bug na virada do milênio, ainda aguardamos aquele meteoro arrasador impactar com a Terra, e não é que um ser invisível a olho nu vem atormentar e abalar a população e economia mundial?!

Isso mostra o quão frágeis e vulneráveis nós somos, e que a qualquer momento algum fator externo pode nos tirar da nossa zona de conforto e, por questão de sobrevivência, mudar nosso comportamento e nossa forma de pensar, impactando diretamente na forma como vivemos. E lá vamos nós nos adaptarmos – de novo – às mudanças (Olá, Darwin!!). Percebam que o significado de VUCA discorre sobre o momento atual: a volatilidade, a incerteza, a complexidade e a ambiguidade:

Volatilidade

A volatilidade mostra que podemos sofrer mudanças rapidamente e de forma imprevisível. Que estamos num contexto efêmero e inconstante, que tudo pode mudar da noite para o dia. Por isso, precisamos ser ágeis, capazes de nos adaptarmos rapidamente.

Incerteza

É a incapacidade de sabermos tudo, de que estamos num ambiente imprevisível, inesperado, arriscado e inseguro. Temos dificuldade de saber para onde vamos e qual o próximo passo, pois muitos acontecimentos não temos como antecipar.

Complexidade

Vivemos num mundo interconectado e interdependente, num ambiente não linear com múltiplas forças. Isso dificulta entendermos o cenário completo, o resultado dessas interações. Não podemos afirmar que existe apenas uma resposta, mas diversas possibilidades para as situações. Isso mostra que muitos acontecimentos que podem afetar o negócio estão fora do controle do gestor.

Ambiguidade

Surge devido à ausência de modelos que possam explicar os fenômenos, deixando margem para várias interpretações que resultam de ver a situação sem clareza e de uma leitura equivocada da realidade. São diversos pontos de vista coexistindo. A quantidade e a velocidade das informações que chegam até nós fica aquém da nossa capacidade de absorver e analisar criticamente. É preciso um pensamento sistêmico para analisar as interconexões de forma a construir uma visão completa do contexto.

MUDANÇAS. PREPARE-SE PARA O DURANTE, PENSANDO NO PÓS

É fato inegável que a pandemia mudou a forma como vivemos, nos relacionamos e consumimos. Transformou nossa rotina e deve provocar impactos de longo prazo, já que muitas mudanças de comportamento vieram pra ficar. Um exemplo, são as vendas on-line, o isolamento impulsionou essa modalidade. E não foi só isso. Passamos mais tempo na internet, cresceu o home office, o home cooking, o fazer as coisas em casa (DIY). Saímos menos, cancelamos viagens, vamos ao mercado com menos frequência. Deixamos de frequentar bares, restaurantes, academias, praças, casa de parentes e amigos, mas aprendemos a nos relacionar de outras formas, os aplicativos de videochamadas nunca foram tão usados. Estamos mais empáticos e colaborativos. Ficamos mais sensíveis e vulneráveis, e mais confortáveis para dizer “não estou legal hoje”.

Por isso, a expressão VUCA vem sendo expandida para a gestão empresarial, pois traduz exatamente as mesmas percepções desse ambiente transformador, desafiador e de incertezas que estamos vivendo.

O QUE APRENDER NESSA (MU)VUCA

A pandemia desestabilizou o cenário mundial – econômico e social – impondo às organizações transformações rápidas, intensas e disruptivas para garantir a saúde do seu negócio e o bem-estar de seus colaboradores. Grandes marcas precisaram se posicionar de forma rápida, mas cautelosa, sem usar o momento para autopromoção.

Saúde emocional e empatia nunca estiveram tão em voga. O home office quebrou paradigmas, as organizações identificaram que seus colaboradores entregam bem, e às vezes até mais do que estando dentro de escritórios.

O isolamento social selou a importância da presença e do investimento no digital, tanto nos meios de comunicação com o cliente externo quanto interno.

A pandemia mostrou a importância de se fazer um planejamento de gestão de risco. De que é preciso preparar as pessoas para os desafios do mundo VUCA, buscando olhares inovadores para os problemas. Que as organizações precisam ser mais ágeis, digitais, colaborativas, devem corroborar com o que é cientificamente comprovado e agir com mais humanidade, seja nas relações de trabalho ou pessoais.


Oferecimento

Entidades Apoiadoras