Como garantir segurança emocional e psicológica nas organizações de alta performance

Ao considerar a loucura rotineira na maior parte das empresas e agências orientadas a resultados, o espírito de competitividade entre os colaboradores tende a ser grande, porém, em meio a diversas incertezas que estamos inseridos, como garantir segurança emocional e psicológica nas organizações de alta performance? 
Trouxemos este tema super importante em nossa live semanal no streaming da gestão – Mestre GP ao cubo – e discutimos sobre diversas alternativas para construir ambientes saudáveis e acolhedores com a nossa convidada da vez – Dora de Oliveira – Diretora de Martech e Data na I-Cherry e a mediadora do mês – Karen Hada

A competitividade não precisa ser o core das organizações 

Existem princípios básicos em agências que podem gerar valores de competição saudável na equipe. A I-Cherry é uma das agências voltadas para resultados e que desenvolve iniciativas de segurança e bem-estar. É considerada  uma agência de performance Great Place to Work (O Great Place to Work identifica as principais organizações que criam excelentes lugares para trabalhar em todo o mundo com a publicação da lista anual “World Best Workplaces”).

Ao iniciar o nosso papo, Dora comenta que este tema é interessante para a vida profissional e pessoal, já que temos passado por tantas incertezas e o nosso olhar sobre as pessoas e o mercado vem amadurecendo cada vez mais.

É muito importante discutir sobre o que a empresa é, assim como também o que ela quer ser. A I-Cherry já nasceu digital, totalmente voltada para resultados e performance, o número de investimentos que lidamos é grande, sempre há pressão de resultados e clientes. Os gerentes buscam constantemente a otimização daquele dia de trabalho e como poderão mensurar os resultados ao obter uma visão além dos clientes, analisando dados para o impulsionamento da empresa. O great place to work é uma fonte de resultado mas temos outras plataformas também.”

Dora conta para nós como a metodologia ágil é encarada na organização: “Entendemos essa
metodologia e trazemos para a realidade da agência pensando no bem-estar do colaborador.” 
Ter entendimento dos erros, do porquê de fato eles aconteceram e quais processos não estão
bons, são caminhos que auxiliam nas ferramentas implementadas – “ São diversas plataformas que fomos adquirindo e todos dentro da empresa tiveram pelo menos 1 feedback durante o mês. As pessoas precisam ser orientadas.  A metodologia ágil nos ajuda a definir quanto tempo está levando o job e se ele poderá ser automatizado ou não.” – comenta Dora. 

Antes de ser profissional, somos seres humanos 

É totalmente compreensível não estar bem todos os dias. Temos vida pessoal, família e questões que precisam ser resolvidas, isso é ser humano. Dora comenta para nós a importância em se ter um  RH que impulsione a empresa em processos que fazem a diferença: “ Em 2018 começamos a falar fortemente sobre diversidade. Nós entendemos que tínhamos que ir além da contratação de diversidade. Era necessário entender como receber essas pessoas e ter falas sobre as pautas. Na agência, temos o  – Grupo Soma –  no qual discutimos sobre religião, mulheres e diversos assuntos que estão em alta na sociedade, para que possamos compreender qual será o nosso posicionamento e fazer a diferença perante o assunto.”

As pessoas precisam estar prontas para trabalhar com diversidade e por isso, na I-Cherry existe um curso com trilhas técnicas e criativas sobre diversidade para pretos e trans – “Queremos retribuir para a sociedade o que pensamos, o que somos e o que sabemos e por isso, este curso se torna essencial. As pessoas garantem seu local de fala e todas as contratações que eu fiz até hoje foram maravilhosas” – relata Dora.

Quando o assunto é bem-estar psicológico, os colaboradores têm apoio financeiro, jurídico e com sessões de terapia – “Neste programa que se chama Lumi, todos os psicólogos são negros. Existem rodas de conversas ou palestras gratuitas com temas específicos e a partir dessas conversas, muitas pessoas adquirem insights que precisam de um apoio psicológico” – Finaliza Dora. 

A saúde mental do gestor

Gerir o time e atender os clientes com qualidade são atitudes esperadas de um gestor e por isso, é extremamente importante que o gestor obtenha um apoio psicológico. Dora conta para nós que, quando um colaborador é efetivado, este recebe um apoio de coaching específico para a área. A empresa também oferece aulas de ginástica laboral online e personal trainer 3x na semana, no espaço de academia da agência. 

“Não somos produtos, somos pessoas. Tentamos entender a complexidade que é o ser humano e como podemos criar um ambiente seguro e mais aberto. As agências são serviços mas nós somos pessoas. Temos salas online de happy hour, sala do café, dos jogos, dos pets e muito mais! São quebra gelos para que as pessoas sintam-se à vontade, já que o trabalho tomou conta da nossa casa.” finaliza Dora.

A I-Cherry está há 8 anos no ranking de melhores empresas para trabalhar no Paraná.
Entraram no ranking Multinacional de Melhores Empresas, Melhores Empresas para Mulheres trabalharem e Melhores Empresas Great Place to Work.
Cada detalhe que a agência fornece, é transformado em processos de acolhimento e cuidado. 

Qual adjetivo você daria para a empresa que trabalha?

Já parou para pensar nesta pergunta?

Se fosse para representar o seu ambiente de trabalho em uma palavra, qual você usaria?
Dora define com a palavra “Orgulho” – “Encontrei uma empresa onde eu possa ser eu mesma. Tenho orgulho de estar numa empresa que respeita  todos os grupos de diversidade: PCD, negros e trans… uma relação fluida! Todos esperam a sexta-feira para entender o que está acontecendo. Quando conseguimos algo novo, sentimos orgulho! Trazemos conversas e cases e mostramos quem está por trás e no mesmo momento, vem o orgulho de fazer parte.” 

Como ser executiva e líder numa área tão importante

Trabalhar o autoconhecimento é a chave para qualquer gestor.
O que você é, o que você sente e porque sente, são questões que devem ser reconhecidas e analisadas.

Sabemos que existe uma pressão muito grande quando se trabalha com grandes clientes, porém, ser produtivo não é trabalhar várias horas por dia – “Às vezes ficarei trabalhando além do meu horário de trabalho , mas isso não pode acontecer todos os dias. Quando nos conhecemos, conseguimos desenhar o nosso trabalho em 8 horas e incluímos os âmbitos da vida ( religião, família, exercícios) de uma maneira que faça sentido para nós mesmos. Preciso estar presente e ser consciente.  Pensar no meu futuro e ser saudável. Entender que irei entregar uma atividade por vez e que vou entregá-la bem feita. Somos seres humanos que falham, todo ser humano tem que entender o que impulsiona os defeitos e qualidades.” – finaliza Dora.

Como utilizar o autoconhecimento no processo organizacional

Separamos em tópicos alguns pontos que fazem toda a diferença na gestão humanizada de equipes:

* Seja um gestor próximo
* Incentive o autoconhecimento
* Leve temas sobre gestão e adaptabilidade
* Acompanhe o que está acontecendo na vida de cada pessoa
* Olhe para cada pessoa como ser humano
* Pergunte sobre a família e vida pessoal sem ser invasivo

Dica genuína que as empresas precisam para construir um ambiente mais acolhedor

Para construir um ambiente fora dos estereótipos de agência que todos conhecem,
é necessário 2 pilares:


1. O pilar da organização: Ter ferramentas que ajudem, saber o que as pessoas estão fazendo
e tornar o dia de trabalho facilitador. 
Ainda vemos muitas empresas que contratam uma única pessoa
e exigem que faça o trabalho de 5 pessoas.
Entender o passo a passo do trabalho e ter uma organização é extremamente importante!

2. O pilar de pessoas: É extremamente necessário nos livrarmos dos preconceitos e olhar para o outro com a visão dele. Como sociedade, devemos entender que ser diferente não é ruim. Diferente com diferente gera resultados positivos e grandes aprendizados. 

 


Oferecimento

Mantenedores

Entidades Apoiadoras