O Atendimento e o Gerente de Projetos, em suas inúmeras evoluções

As agências mais tradicionais sempre mantiveram no seu quadro de funcionários equipes com redatores, diretores de arte, planejamentos, motions, produtores gráficos, mídias e os famosos atendimentos.

O profissional que exercia a função de atendimento tinha como pilares:

– conhecer muito bem o cliente;
– ser a agência dentro do cliente e o cliente dentro da agência;
– demandar jobs para as áreas;
– administrar prazos para não atrasar, entre outros detalhes.

Com o passar do tempo, as funções e obrigações do atendimento foram evoluindo e, em alguns momentos, além de se cuidar bem do cliente era importante gerar novos negócios e trazer novas verbas para a agência, fazendo com que fosse necessário a busca por conhecimentos na área de negociação e liderança.

Com a concorrência entre as agências aumentando e a demanda por parte dos clientes para que as entregas dos projetos fossem cada vez mais rápidas, mas sem perder a qualidade, surgiram mais profissionais especializados em gestão de projetos, até então andando junto ao atendimento na administração das entregas. Não demorou muito para que o GP tocasse com maestria os projetos direto com as equipes e clientes, fazendo com que o olhar das agências em relação ao profissional de atendimento evoluísse ainda mais.

Atualmente, existem várias agências que, no lugar de um atendimento, têm um GP (que muitas vezes são os atendimentos mesmo, só que se especializaram em gestão de projetos ou fizeram algum curso na área) cuidando de todas as etapas, tanto dentro da agência quanto com o cliente.

É normal ver equipes de agências trabalhando no formato house, ou seja, dentro do espaço corporativo dos clientes, para atender as demandas de forma mais rápida e dinâmica, onde temos um GP que administra a pauta, controla prazos por meio de cronogramas, colhe os briefings com o cliente e sempre busca algo novo com o planejamento para apresentar, além das duplas criativas, redator e diretor de arte.

Além das houses, podemos encontrar também grupos chamados squads dentro das agências, com profissionais especializados em cada área trabalhando juntos. Dentro de uma squad podemos ter criação, redator, GP, B.I., mídia, CM e SAC (dependendo do contrato e necessidade), todos focados nos melhores resultados para o cliente que trabalham.

Atualmente a pessoa Gerente de Projetos tem a gestão do projeto como essência, mas tem também um pouco do atendimento já que fala com cliente, negocia prazos e entrega os jobs.

Todas essas mudanças surgiram para acompanhar a velocidade de transformações no mercado e atender à necessidade da entrega com qualidade.

E você já atua no mercado e sentiu essas mudanças?

Você já foi atendimento e se tornou GP? Conta pra mim.


Oferecimento

Mantenedores

Entidades Apoiadoras