Bontle Senne, diretora no Deutsche Bank trouxe dicas para gestores que lidam com pessoas e projetos em sua participação no DES 2019

 

Por Gabriela Manzini*

DES 2019
Digital Enterprise Show 2019 aconteceu em Madrid na última semana.

 

Bontle Senne, Director of Strategic Development Practices no Deutsche Bank, palestrou na última quinta-feira, 23 de maio, no maior evento de Transformação Digital do mundo, o Digital Enterprise Show (DES 2019), que ocorre anualmente em Madrid, na Espanha. A executiva trouxe diversos insights que atingem diretamente a gestão de times e projetos nas organizações da nova economia. Nossa Head de Conteúdo, Gabriela Manzini, trouxe alguns dos insights e dicas práticas compartilhados pela diretora diretamente para GPs leitores do Mestre GP. Confira com exclusividade abaixo.

  • Esqueça projetos e apps: entenda como comunicar que tudo o que a sua equipe está fazendo tem valor para o negócio, de fato trazendo dinheiro. Exemplo: o time não está trabalhando em um aplicativo da marca, e sim em pagamentos instantâneos, que é o que levou a optar pelo aplicativo.

 

  • Esqueça consultores: procure coaches ágeis: você saberá quando achou “agile coaches” porque ele vai fazer as empresas saírem da zona de conforto e fazer novas coisas e de uma forma melhor.

 

  • Adote a metodologia ágil de forma consciente: ela vai mudar o seu negócio. Apenas tenha em vista que, diferentemente do que se imagina, o método não trará menos planejamento, menos disciplina e menos riscos. Na verdade, esse conceito prevê mais que tudo isso. Isso é vantajoso pois permitirá mais inovação e rapidez na resposta às mudanças do mercado.

 

  • Erros são ok e não apenas quando errou para aprender: Isso vale ainda mais para quando os profissionais forem negligentes ou não tão cuidadosos. É importante entender como vão consertar erros juntos. Saber que não vão sofrer consequências pelas ações que eles tomaram vai trazer uma equipe mais propensa a inovar.

 

  • Troque a mentalidade de “projetos” para “valores, times e negócios”: Essa mudança é particularmente difícil para a liderança, entretanto, quem aceita essa dor, tem uma visão de longo prazo do tipo de organização que quer construir. Esta é a mentalidade deve ser construída para que Inteligência Artificial e máquinas aprendam para você trabalhar.

 

  • Dê um voto de confiança para seu time: pode chegar e falar para equipe que, naquele ano [troque aqui pelo período que fizer sentido para a organização, desde que seja relativamente longo] ninguém será demitido, mas todos terão que se reinventar. E deixe claro que há uma oportunidade de “upskill” (aumentar as capabilidades) e “reskill” (renovar as habilidades) nos times. “Se não quiser [fazer parte deste movimento, pode sair. Se no fim do ano você não tiver novas habilidades, aí teremos que ter uma nova conversa”, exemplificou Bontle.

 

  • Lide com a motivação dos profissionais de forma diferenciada: Equipes com altas habilidades e motivados são aquelas pessoas que você precisa deixar experimentar, errar mais. Quando possuem altas habilidades e não são motivados, estimule-os. “Eles precisam se animar novamente pelo tipo de trabalho que faz”, disse a diretora. “Deixe-os treinar outras pessoas, mostrar os expertises deles”. Os que precisam aprender mais, dê a oportunidade renovar os conhecimentos.

 

*Gabriela Manzini é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo, trabalha com comunicação há dez anos e é especialista pós-graduada em Comunicação Corporativa pela Cásper Líbero. Atua hoje com comunicação estratégica, marketing digital, especialmente marketing de conteúdo e inbound. Em suas passagens por agências de comunicação e marketing, já atendeu clientes como Microsoft, Philco, Wacom Brasil, Toshiba Brasil, Citibank, Credicard Hall, Omron, Internacional Shopping Guarulhos, e os cantores Fábio Jr. e Paula Lima. Na área corporativa, trabalhou no departamento de marketing da Shoestock e é a atual Head de Conteúdo do Digitalks, empresa do grupo iMasters, referência em marketing digital no Brasil. Possui ainda expertises em planejamento estratégico, design thinking para inovação, comunicação interna e endomarketing, além de prestar consultoria em mídias sociais para pequenos negócios.

Deixe um comentário