O que significa cultivar o equilíbrio emocional e qual o impacto?
– Artigo 1 de 3

Antes de começar a falar sobre o equilíbrio emocional, não tem como não tocar no que está mais doendo agora, este momento estamos vivendo uma das grandes crises na saúde e com ela, se agravou o número de pessoas com problemas de saúde mental.

Os nossos números sobre a saúde mental já não eram bons. Na América Latina, o Brasil tem a maior taxa de pessoas que sofrem depressão e ansiedade.

E nunca se falou tanto sobre isso nesses últimos tempos. Visto o boom em atividades como Yoga, práticas de meditação, pesquisas científicas sobre o tema, livros, artigos, palestras, cursos, treinamentos…

E ISSO É MUITO BOM!

No Roda Viva (11/2019) Yuval Harari deixou a seguinte mensagem:

“Especialmente hoje em dia, é muito importante você se conhecer melhor, porque agora todas as empresas/ corporações e governos estão tentando hackear, monitorar, conhecer você melhor e explorar suas fraquezas mentais contra você.”

Isso quer dizer que, estamos mais expostos do que nunca e esse caminho não me parece ter volta, ainda mais com o COVID19, onde ficar conectado é um dever.

E é daqui que a gente parte nesta jornada. Sem conhecer profundamente a nós mesmos, não há como desenvolver um equilíbrio consistente.

A gente se acha equilibrado até sentir aquela tensão de uma discussão calorosa e divergente que tivemos com nosso colega de trabalho ou nosso chefe. Até sentir aquela irritação com alguém que se comportou de maneira ríspida ou até uma emoção mais forte, como a raiva ou a profunda tristeza de ter que trabalhar mais um dia remoto sem poder sair de casa sob os números tristes de infectados e mortes pelo mundo.

Todas essas emoções convivem conosco o tempo todo e elas funcionam como um importante filtro para os nossos pensamentos, falas e ações. Já reparou o efeito que tem em suas palavras quando você responde um e-mail quando está muito irritado?

A boa notícia é que existe um outro caminho. Para um primeiro exercício, traga a sua mente um momento bom no seu trabalho (algo engraçado, gratificante). Geralmente ele vem acompanhado de uma interação com alguém, e as boas lembranças permeiam algum movimento gentil, íntegro e espontâneo.

Lembrou de algum, certo? Então, você pode ser responsável por mais momentos assim. Você pode construí-los, desenvolvê-los e ser aquele Gerente de Projetos que todo mundo quer trabalhar. Não porque você é o “bonzinho” ou o “faz tudo”, mas porque você consegue fortalecer seus conhecimentos técnicos desenvolvendo as suas habilidades emocionais.

Quando você vai se conhecendo verdadeiramente você entende como sua mente trabalha, e muitas vezes ela trabalha contra você. Quando você consegue se aliar a ela, o resultado do seu trabalho, o impacto nas suas relações (incluindo do trabalho) e suas ações sociais podem se transformar positivamente.

Te convido de coração para essa jornada. Trocar experiências será enriquecedor.


Oferecimento

Mantenedores

Entidades Apoiadoras